Estar um passo à frente dos desafios sanitários é importante  para trabalhar com alta produtividade na suinocultura. Monitoramento sanitário, protocolos vacinais bem planejados e manejo que foque também em bem-estar animal estão entre as ações que, combinadas, podem mitigar problemas de saúde na granja. O melhor é que utilizando exames laboratoriais como ferramentas é possível ter em mãos um verdadeiro “mapa da granja”. “Uma das ferramentas essenciais desse processo é realizar o perfil sorológico de imunidade”, explica a coordenadora de diagnósticos do SANPHAR/IPEVE, Talita Resende. O perfil sorológico traduz o histórico de exposição dos animais a determinados agentes por meio da detecção de anticorpos específicos.

Para traçar este perfil, a especialista do SANPHAR/IPEVE explica que são coletadas amostras representativas de todas as fases de vida dos suínos. Com isso, é possível saber com mais precisão o momento em que um vírus ou uma bactéria estão infectando os animais. Essas informações ajudam a definir o melhor protocolo de tratamento, prevenção e controle da infecção em questão.

“Podemos observar com este tipo de teste como o agente infeccioso se comporta no plantel. Um bom exemplo seria o vírus da Influenza. Se temos uma matriz suína protegida, esperamos que os leitões tenham imunidade também, desde que tenham recebido o colostro adequadamente”, explica Talita.

Com a realização do teste sorológico, é possível determinar se o agente infeccioso está presente, onde e em que momento ele está circulando, determinando, assim, o melhor momento para a vacinação. “É possível evitar que a vacinação aconteça em um animal que ainda tem anticorpos maternos, por exemplo. Isso acontece em grande parte das espécies mamíferas: se imunizarmos um animal que ainda tem os anticorpos que recebeu da mãe, a vacina não será capaz de estimular o sistema imune de maneira eficiente”, complementa a especialista.

Talita Resende orienta que os testes sejam adotados como parte do protocolo de gestão sanitária da propriedade para que, assim, o produtor tenha o histórico do plantel, que deve ser interpretado pela equipe técnica que acompanha a granja.

Além da sorologia para perfil de imunidade dos animais, a SANPHAR/IPEVE oferece uma série de exames laboratoriais importantes, como antibiograma para a melhor escolha e uso racional de antimicrobianos, além de PCR para detecção e tipificação do agente patogênico. “Esse é o diferencial do SANPHAR/IPEVE. Nossa equipe atua a campo realizando e orientando essas coletas e também dando todo o respaldo para que a interpretação dos resultados laboratoriais sirvam de bússola para os suinocultores”, enfatiza Talita.

O Anuário Peixe BR de Piscicultura 2022 está disponível para download!

Baixe agora o mais completo anuário de piscicultura e fique por dentro dos dados de mercado, perspectivas de futuro da atividade e muito mais.

🔹Download gratuito em http://peixebr.com.br/anuario2022

#PeixeBR

#repost @Peixebroficial

Dia 22 de fevereiro temos um encontro marcado: o lançamento do Anuário Peixe BR da Piscicultura 2022!

Nosso encontro acontece na próxima terça-feira, a partir das 10h da manhã, pelo zoom. Participe!

Link do Zoom: https://bit.ly/LancamentoAnuario2022

#PeixeBR

[custom-facebook-feed]


TextoRural é a plataforma digital da Texto Comunicação Corporativa
para os seus clientes de agronegócio e da cadeia da produção de alimentos.

+55 11 3039-4100

imprensa@textoassessoria.com.br

Share This